Logo2 - Caminhos do Turismo Oficial - agrupado Transparente .png

MILÃO: A CAPITAL DA MODA EUROPEIA

Eduardo Henrique Ferin da Cunha

Mtb nº 0081757/SP

 

Matéria publicada em 29/12/2017

 

Ahhh, a vibrante cidade de Milano, na região da Lombardia. Não estava em nossos planos, inicialmente, porém ao comprarmos os bilhetes antecipados de trens, vislumbramos uma possibilidade de permanecer algumas horas na cidade. Saímos de Verona às 8h e chegamos em Milão às 10h30 e somente às 15h30 partiria o próximo trem para Zurique.

 

Nesse tempo, programamos um passeio pela famosa Duomo di Milano e como a cidade é conhecida como Capital da Moda, pensamos em fazer algumas compras por lá (diga-se de passagem, muito chique). Ainda na estação ferroviária, deixamos nossas malas no guarda-volumes para retirada posterior e tentamos ir ao banheiro (digo tentamos, pois Aline estava com vontade, mas não conseguimos por falta de moeda de € 1) mas ao tentar trocar, acabei discutindo (em italiano – nem sei o que falei) com a vendedora de uma tabacaria que se recusou a trocar, mesmo eu tendo comprado bilhetes de metrô no local.

 

Passado o episódio, pegamos o metrô na própria estação Milano Centrale com direção à Piazza Duomo e avistamos imediatamente a imponente Duomo di Milano, a terceira maior igreja do mundo, perdendo somente para a Basílica de São Pedro no Vaticano e a Catedral de Sevilha na Espanha. Nem precisa dizer o quanto ficamos de boca aberta e impressionado com a igreja. Tiramos várias fotos de sua bela fachada estilo gótico. Na mesma praça tem o monumento à Vittorio Emanuele II.

 

26230846_1665153030212908_8555858147994568720_n.jpg

A Catedral de Milão

Crédito: Aline Finardi Luz

 

Saindo da praça, seguimos para outro atrativo turístico: o Castello Sforzesco construído pelo duque de Milão, Francesco Sforza, no século XV, um dos monumentos mais importantes da cidade. Logo na entrada existe uma bela fonte, ideal para fotos. Uma dica: cuidado com os ambulantes que vem te oferecer uma fitinha e já vai colocando no seu braço, para depois te pedir dinheiro por ela. Para evita-los, “fechava a cara” e dizia “non”. E ninguém nos incomodava. É possível visitar gratuitamente todo o interior do castelo, exceto os museus cívicos e pinacoteca que ali, existem que decidimos não entrar por questão de tempo.

26168087_1665152876879590_9085291230630455178_n.jpg

Castello Sforzesco

Crédito: Aline Finardi Luz

 

 

Voltamos à Piazza Duomo e fomos à Gallerie Vittorio Emanuelle II, mas nem entramos nas lojas que ali estavam como: Prada, Louis Vitton, Swarovski, entre outros. Tiramos fotos (aliás a galeria é belíssima) e almoçamos no 2ºandar da galeria, onde tem um pequeno centro gastronômico (aliás, eis uma dica valiosa para quem quer gastar pouco em uma refeição, boa e barata) e pedimos pizza! Caminhando um pouco mais, chegamos à Piazza Scala, onde tiramos uma foto de um monumento ao mestre Leonardo da Vinci.

26230506_1665153183546226_5181196203333243391_n.jpg

Gallerie Vittorio Emanuelle

Crédito: Aline Finardi Luz

 

 

Bom, ir a Milão e não comprar nada? Decepcionante, mas quem disse que não fizemos compras? Nas ruas laterais à galeria, existem lojas com preços bem mais convidativos: uma delas na H&M comprei a minha camisa flanelada xadrez, uma blusa e meias para Aline e mais próximo dali, fomos à loja United Colors of Benetton onde Aline comprou duas calças magníficas a um preço muito especial. Apenas me arrependi de não ter comprado um sobretudo! Após o momento de compras, pegamos novamente o metrô na Piazza Duomo e voltamos à estação ferroviária, não sem antes novamente observar a beleza da catedral (ficamos realmente encantados); retirarmos nossa bagagem no guarda-volumes e aguardamos o nosso trem para Zurique, que partiria às 15h30. Ficamos um pouco na estação Milano Centrale e assistimos a um excelente comercial da TIM.

26168958_1665152983546246_5238732495922302857_n.jpg

Compras United Colors of Benetton

Crédito: Aline Finardi Luz

 

Milão é realmente uma cidade vibrante. Da próxima vez, será parada obrigatória, sobretudo para tentar visitar a Igreja Santa Maria delle Grazie, onde está a obra da Última Ceia de Leonardo da Vinci, que não seria possível no momento a visita, por ter que agendar com antecedência; conhecer um pouco da história do futebol: Milan e Internazionale e reservar um tempo maior para as compras, sobretudo no Quadrilátero da Moda, mas claro, da próxima vez temos que trazer muito dinheiro!