Logo2 - Caminhos do Turismo Oficial - agrupado Transparente .png

VERONA: A CIDADE DE ROMEO E GIULIETTA

Eduardo Henrique Ferin da Cunha

Mtb nº 0081757/SP

 

Matéria publicada em 28/12/2017

 

A cidade mais romântica da Itália onde se passa o famoso drama de William Shakespeare: Romeo e Giulietta, terra de nossos antepassados!

 

O próximo destino – Verona – era o lugar mais esperado por Aline, o ponto mais alto de toda a viagem para ela, que justificou inclusive a ideia de ficar hospedado pelo menos uma noite nessa bela cidade.

 

26169942_1667461196648758_5169042681381013283_n.jpg

A linda cidade de Verona

Foto: Eduardo Henrique Ferin da Cunha

 

 

Partimos de Venezia com os trens da Trenitália e em cerca de 1h30, chegamos na estação Porta Nuova. Caminhamos pela Piazzalle XXV Aprile, passamos pela Porta Nuova, um dos primeiros monumentos que avistamos ao chegar na cidade. É uma fortaleza construída em pedra. Após fotos, caminhamos mais 1km e chegamos até o I Portoni della Bra (portal de Brà), adentrando na Piazza Brà, a maior praça da cidade e a mais vibrante onde tudo gira em torno dela: bares, restaurantes, um monumento em homenagem à Vittorio Emanuele II (o amigão da Aline), o Palazzo della Gran Guardia e a Arena de Verona, um anfiteatro com mais de dois mil anos e que ainda está em uso para visitação e espetáculos artísticos. Aline estava deslumbrada com a cidade!

 

Chegamos ao hotel Giulietta e Romeo, muito bem localizado, no Centro Storico e a 100 metro da Piazza Brà, porém ainda estava cedo para adentrar e então deixamos as malas e seguimos pela cidade. Nossa primeira parada foi no Castelvecchio um castelo medieval de 1355 e que hoje, além de sua construção é um museu de arte medieval e moderno. Fizemos várias fotos no lado externo e no atrium interno e os jardins de Carlo Scarpa, mas não entramos no museu pois era uma segunda feira e estava fechado.

26219456_1667461439982067_2350299661126140261_n.jpg

Castelvecchio

Foto: Eduardo Henrique Ferin da Cunha

 

Seguimos pela Ponte Scaligero muito famosa pela história de Romeo e Giulietta; nesta ponte os Montecchios e os Capuletos, chegaram a guerrear, nas cenas da dramaturgia de William Shakespeare. A ponte, que atravessa é rio Ádige é muito bonita, ideal para cenário das mais belas fotos de Verona, seja caminhando por ela, seja nas suas “janelas naturais”, que emolduravam Aline e Eduardo na “cidade mais romântica da Itália”. Atravessando a ponte vimos a estátua em homenagem a Cavour, político italiano do século XIX, tiramos mais fotos às margens do rio Ádige, passamos pelo Campo Giuochi per Bambino, um parque infantil e o Arsenale, um castelo medieval estilo neorromânico, porém menos famoso que o Castelvecchio. Retornamos pela Ponte Scaligero até a Piazza Brà e fomos almoçar em um restaurante tipo self service, um pouco diferente, que você podia escolher várias opções. No meu prato tinha: queijo brie, risoto e um hambúrguer diferente, acompanhado de uma cerveja Birra Moretti. Aline foi no tradicional penne al quattro formaggio e uma torta de frutas como sobremesa!

26168502_1667461599982051_639243846408168847_n.jpg

Ponte Scaligero

Foto: Aline Finardi Luz

 

 

 

Após o almoço retornamos ao hotel, fizemos o check in e nos dirigimos pela via Mazzini (uma rua cheia de lojas de grife) ao principal atrativo turístico de Verona e o mais desejado por Aline, a Casa di Giulietta! Adentrando na via Cappello, chegando próximo ao número 23, a emoção tomou conta de Aline, que começou a derrubar algumas lágrimas... Era a Casa di Giulietta, um palácio de origem medieval, convertido em um museu.

 

26168508_1667461719982039_3224642706735741833_n.jpg

Casa di Giulietta

Foto: Eduardo Henrique Ferin da Cunha

 

 

O mais interessante é que todo o ambiente criado transparece um misto de ficção e realidade. Dá até para acreditar que Giulietta realmente existiu naquele cenário! E quem sabe não existiu alguém que tenha passado pelo mesmo drama? Aline estava muito emocionada e chorando! Chegando no local, observamos um mural onde as pessoas deixavam mensagens; Aline escrevera nossos nomes registrando a nossa passagem por ali. Em seguida fomos à estátua de Giulietta, onde reza a tradição que se tocarmos no seio direito, traz sorte no amor! Imediatamente fui trazer essa boa sorte para a nossa vida, aos olhares atentos de Aline, que também fizera tal ritual, seguindo de inúmeras fotos!

 

26195660_1667461743315370_4652284615529201196_n.jpg

Tocando nos seios de Giulietta

Foto: Eduardo Henrique Ferin da Cunha

 

 

Resolvemos entrar e visitar o museu, decorado com cenas do drama contado por William Shakespeare. O museu mistura decoração antiga com aparatos modernos, como alguns computadores em que você pode escrever um e-mail para Giulietta (assim o fizemos, mas não obtivemos resposta), além de uma carta escrita no guardanapo de Aline. Chegando no balcão de Giulietta (a sacada), eu desci e saí do museu para ir lá fora. Aline se posicionara no balcão e eu tirei fotos da “minha Giulietta”. Ela, por sua vez tirou fotos do “seu Romeo” com os braços abertos na rua esperando por um suspiro de seu amor! Muitas emoções a vista!

 

26219465_1667461276648750_5423330358633584568_n.jpg

Aline no Balcão de Giulietta

Foto: Eduardo Henrique Ferin da Cunha

 

Após sair da Casa de Giulietta caminhamos pelo Centro Storico de Verona onde passamos pela Piazza Dell Erbe, a mais antiga de Verona, mas estava um pouco descaracterizada pela enorme quantidade de barracas de souvenirs (claro que também compramos alguns), mas dava para observar a fonte e a estátua de Madonna Veronese datada de 380 d.c, além da vista da Torre dei Lamberti, construída em 1172

 

26168225_1667461393315405_7475431100413692869_n.jpg

Piazza Dell Erbe

Foto: Eduardo Henrique Ferin da Cunha

 

A seguir passamos pela Piazza dei Signori, também conhecida como Piazza Dante por ter uma estátua de Dante Alighieri. No local estava acontecendo uma feira natalina (Mercatini di Natale), com vários produtos artesanais e gastronomia. Anexo a essa praça, está o Palazzo della Ragione que em seu entorno também estava decorado para o natal. Seguindo um pouco mais, chegamos a outros atrativos, porém estavam fechados: a Chiesa di Santa Maria Antica e o Arche degli Scaligeri: a pequena igreja foi construída pela família Scaligeri.

 

Após passar por estes atrativos, seguimos em direção à Ponte Pietra, o monumento romano mais antigo de Verona, local ideal para belas fotos sobre o rio Ádige. Da Ponte Pietra se avista o Teatro Romano di Verona. Atravessamos a ponte e passamos pela estação de ônibus Lungadige San Giorgio e voltando novamente ao outro lado do rio chegamos à Duomo Cathedrale di Santa Maria dei Matricolare (sec. XI – XV), mas estava fechado. Sua fachada não é tão imponente quanto as demais igrejas da Itália e ficamos poucos minutos, o tempo suficiente para algumas fotos.

 

26195428_1667461403315404_2313697406794087579_n.jpg

Ponte Pietra

Foto: Eduardo Henrique Ferin da Cunha

 

Caminhando mais um pouco pelo Centro Storico, nos dirigimos à Arena di Verona, um anfiteatro romano, que hoje possui uma intensa atividade cultural, promovida pela Fundazione Arena di Verona, dentre os quais destacam-se a Arena Opera Festival (junho a setembro) e Teatro Filarmônico. A visitação foi feita no estilo do Coliseu (porém muito menor e mais simples). Nas areias da arena pudemos escrever os nossos nomes, demonstrando o nosso amor na cidade mais romântica da Itália.

 

26195498_1667461829982028_6372153768716688078_n.jpg

Arena di Verona na Piazza Bra

Foto: Eduardo Henrique Ferin da Cunha

 

 

Ainda estava claro, mas já começava a escurecer e decidimos voltar à Casa di Giulietta para mais uma visita rápida e rever novamente o balcão de Giulietta. Retornamos à Piazza dell Erbe para comprar souvenirs. Retornamos à Piazza dei Signori, onde havia o mercado de Natal e experimentamos um delicioso Vin Brulè (vinho quente) e um chocolate que Aline ficou com vontade. Fomos atrás de um vinho típico da região nos supermercados, mas decidimos no final comprar um vinho espumante da GiuliettaVerona no próprio hotel, que apesar de estar um pouco mais caro, pelo menos tinha o tema principal da nossa visita à Verona.

 

Para fechar a noite na bela cidade de Verona, voltamos à Piazza Brà, e paramos na Pizzerie Mamma Mia, para experimentar outra pizza tradicional Margherita, acompanhando suco de laranja e um vinho Chianti da casa. Confesso que dessa vez a pizza não estava tão boa, mas em compensação a sobremesa foi espetacular: eu pedi um tiramisu e Aline um crema di tre cioccolatini (mousse com três chocolates).

 

26169178_1667461579982053_2229399555118945329_n.jpg

Pizza na Piazza

Foto: Eduardo Henrique Ferin da Cunha

 

 

E assim foi a nossa estada em Verona! Para Aline, nem precisa dizer o quanto foi emocionante, pois foi mais um sonho conquistado: conhecer a terra da mais famosa história de amor: Romeo e Giulietta de William Shakespeare e ainda poder visitar as terras por onde os antepassados de Aline viveram (segundo informações da mãe dela) e talvez até mesmo os meus antepassados, que apesar de não buscarmos nossas origens, sentíamos que a cidade de Verona, trazia essas lembranças! Para mim, tecnicamente falando, a cidade é ideal para se viver e em um futuro próximo estaria disposto a voltar com vários objetivos: estudos, pesquisas familiares, negócio ou simplesmente para rever os locais turísticos que visitamos.

 

Amamos a cidade de Verona!